Desde 2017 o Conatran (Conselho Nacional de Trânsito) determinou que todos os veículos do país deveriam passar por uma verificação regular conhecida como INSPEÇÃO VEICULAR. Os carros que não obedecerem a norma, estão proibidos de continuarem circulando. O prazo de implantação total da resolução seria 2020, mas por conta da pandemia, por hora está suspensa a obrigatoriedade da inspeção. Porém, com a chegada da vacina em 2021, tudo está caminhando para que voltemos a normalidade e ainda dá tempo de adequar seus procedimentos para atender essa resolução, afinal este serviço é um dos mais requisitados nas oficinas mecânicas, então é melhor estar preparado.

E para te ajudar a se preparar para este momento, trouxemos algumas dicas de como adequar sua oficina para atender a inspeção veicular.

Quando se deve fazer a inspeção?

Segundo a resolução, a periodicidade a ser adotada pelo país é:

● A cada 2 anos: todos os veículos registrados, sendo pré-requisito para licenciamento.

● A cada 6 meses: veículos de transporte escolar; motocicletas/motonetas destinadas a moto-frete e moto táxi.

● Anual: veículos de transporte rodoviário internacional de cargas e passageiros; combinações de Veículos de Carga (CVC) com Peso Bruto Total Combinado (PBTC) acima de 57 toneladas.

Mas, como fazer uma boa inspeção veicular?

Comece pelo manual do veículo

Saber como o modelo que chegou em sua oficina funciona e suas particularidades é o melhor ponto de partida. Checar as especificações técnicas dos modelos facilitará demais o seu trabalho.

Ainda que o proprietário não tenha mais o manual que vem com o carro, uma pesquisa rápida pela web te dará informações para iniciar o trabalho. Normalmente, todas as especificações técnicas costumam constar no site do fabricante.

Vá para o motor

Os maiores e mais complexos problemas que um veículo pode apresentar, está no motor. Barulhos, consumo excessivo de combustível, dificuldade na partida são facilmente identificado com um teste simples do motor. Cheque detalhadamente o funcionamento do motor e caso seja detectada alguma falha importante de componentes do motor, sugira a ação corretiva.

Agora teste os sensores

Os sensores são componentes essenciais para o funcionamento do veículo.

Sensores de temperatura do ar, temperatura da agua ou rotação do motor, são alguns exemplos de sensores vitais para o bom funcionamento. Os testes destes sensores são parecidos e simples de realizar: Com a ignição desligada, basta desconectar o conector do sensor, testar a resistência nos terminais do sensor, testar a continuidade na fiação até a central eletrônica sempre consultando o manual de reparação do veículo, podendo então concluir se está funcionando adequadamente.

Teste separadamente a bomba de combustível

Este é outro componente vital para o funcionamento do veículo, fazendo dessa checagem parte obrigatória da inspeção.

Verifique a tenção e pressão da bomba. Se a tensão estiver abaixo de 12 Volts, pode haver um problema de fusível ou chicote elétrico. Já a pressão deve ficar entre 2,5 e 3 BAR, caso apresente pressão abaixo destes valores, o melhor caminho é seguir com a troca da bomba.

Chegou a hora de testar os freios

O principal item de segurança de um carro é o sistema de frenagem. Ele deve ser tratado com prioridade, não somente pela norma do Conatran, como para o uso no dia a dia. A demora no tempo de resposta de pastilhas desgastadas diante de um acidente, pode ser fatal. Portanto, qualquer problema com perda de aderência, desgaste ou mínimas falhas que possa comprometer a rápida ação, indique substituição imediata.

Rodas e pneus não devem ficar de fora

Junto com o sistema de frenagem, checar componentes como pneus e rodas também é primordial. Pneus desgastados e carecas e rodas distorcidas contribuem para acidentes e devem ser substituídos com frequência.

Não esqueça de itens simples

Por fim, não esqueça de checar se lanternas, faróis, cintos de segurança, airbags e estepe estão em pleno funcionamento. São itens que podem te fazer perder ponto na inspeção.

Como liberar o carro para a inspeção veicular?

O primeiro passo é a avaliação de todos os itens acima. Anote todos os problemas que encontrar e comunique o proprietário sobre cada problema e o que pode acarretar o não conserto do problema.

O Conatram ainda não esclareceu quais os pontos são considerados problemas graves, muito graves ou leves e o quanto isso pode comprometer na liberação do veículo. Portanto, aponte todas as falhas e sugira que todos os pontos sejam reparados, ainda que sejam feitos gradualmente.

Agora que você já sabe o passo a passo de checagem para uma inspeção veicular, pode oferecer mais este serviço em sua oficina!

Novas regras estão por vir e você precisa se atentar
Tags:                                         

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *