O Osciloscópio é uma ferramenta indispensável para as bancadas dos laboratórios de eletrônica, utilizada para realizar diagnósticos sobre falhas nos sistemas embarcados dos veículos.

Ele mede os sinais elétricos e eletrônicos de um circuito, exibindo em uma tela, gráficos que facilitam a interpretação das informações. A partir dos gráficos exibidos, é possível obter dados da tensão registrada, sendo que o eixo x representa o tempo e o eixo y informa a quantidade de volts.

É uma ferramenta necessária para solucionar problemas de sensores, solenoides, atuadores, ignições primárias e secundárias, fluxo de dados de comunicação etc.

Os diversos comandos permitem que o osciloscópio seja utilizado em uma infinidade de aplicações, como no reparo dos sistemas eletrônicos presentes nos veículos.

As falhas que ocorrem nos sistemas geram um código de erro que ficam registrados na ECU, mas este código só fica registrado apenas quando há uma falha efetiva. Se um sensor ou atuador parou de funcionar em alguma posição intermediária, não ocorre o registro do código de falha no ECU. Nesse caso, o osciloscópio para diagnóstico de automóvel é o instrumento mais necessário. É uma ferramenta insubstituível, quando você precisa observar sinais de saída de sensores indutivos, sinais analógicos de mudanças lentas, formas de onda de corrente de partida, correntes de carga e etc.

Há quem confunda o osciloscópio com o multímetro, mas as aplicações são diferentes.

O multímetro atende situações em que é preciso verificar circuitos em situações estáticas, ou quando as alterações na leitura ocorrem de maneira gradual, sendo mais efetivo quando os testes são feitos com o motor desligado ou para detectar algum defeito pontual nos componentes.

Já o osciloscópio automotivo é capaz de examinar o funcionamento do circuito em situações dinâmicas, em que as avarias acontecem de maneira intermitente, sendo utilizado tanto em testes de baixa tensão, como nos sistemas eletrônicos, quanto em tensões mais elevadas, da mesma maneira que ocorre no momento da ignição. Ele também permite que os dados sejam armazenados e transferidos para uma memória externa, de onde ele pode ser impresso ou descarregados em um computador, facilitando a análise e aumentando a precisão do diagnóstico.

A essa altura, não restam mais dúvidas sobre a importância do osciloscópio automotivo nos reparos realizados em sistemas elétricos e eletrônicos dos veículos, mas seu uso ainda gera algumas dúvidas.

Para te ajudar a explorar ao máximo os recursos oferecidos por essa ferramenta, separamos 3 dicas de utilização que vão fazer toda a diferença na hora de operar o osciloscópio:

1 – Conecte os cabos corretamente

Existem duas portas de entrada para o sinal elétrico no osciloscópio. A ponteira preta deve ser conectada ao condutor terra do circuito, que será analisado, enquanto o terminal vermelho é colocado em um ponto intermediário.

2 – Identifique as informações apresentadas

A principal informação que pode ser extraída do osciloscópio é a tensão, em volts, existente no sistema. Esse dado é obtido verificando a amplitude do sinal gerado em relação à escala vertical do visor.

Na linha horizontal, mostra o comportamento da tensão em função do tempo, podendo ser ajustada em milissegundos (1 segundo/mil) ou em microssegundos (1 segundo/um milhão), dependendo do segmento de onda que se pretende observar. E além desses parâmetros, é possível identificar a frequência (Hz) do sinal, ou seja, quantas vezes a oscilação se repete dentro de um período de tempo.

3 – Utilize em conjunto com o scanner automotivo

O sistema de injeção eletrônica é o sistema que mais possui componentes eletrônicos interligados. Por isso, aliar um scanner ao osciloscópio na hora da avaliação, é ideal para um diagnóstico mais preciso.

Com essas duas ferramentas em mãos, o profissional estará muito mais capacitado para lidar com qualquer problema envolvendo a parte elétrica e sistemas eletrônicos de um veículo.

Para ajudar na escolha de um bom osciloscópio, algumas coisas precisam ser levadas em consideração como um aparelho para ligar no PC. Você não pode usar o osciloscópio e a ferramenta de digitalização de uma só vez. Em uma ferramenta de digitalização, ambas as unidades compartilham a mesma placa de circuito impresso e a mesma fonte de alimentação, por isso, possivelmente esse tipo de osciloscópio não funcionará bem no diagnostico do automóvel. Compre um modelo que digitalize tudo para um computador, assim fica mais fácil de dividir os componentes e registrar tudo que for necessário.

Evite aparelhos originalmente destinados a aplicações científicas e industriais. Normalmente, estes aparelhos nao não têm pré-ajustes ou não são capazes de medições automotivas sem adaptadores, que geralmente não estão incluídos.

Outra característica a se observar antes da escolha, são os canais. Os osciloscópios têm variedades, de um canal, dois canais, quatro canais e até dez canais. Ao decidir qual escolher, considere o número de sinais a serem exibidos.

Se queremos realizar um diagnóstico rápido para determinar a presença de um sinal e se ele está dentro da faixa normal, um canal é suficiente. Dois canais são ideais para correlação da árvore de cames / virabrequim e leitura dos sinais dos sensores. Já o de quatro canais são geralmente usados ​​quando é necessária a visualização simultânea do circuito de ignição ou lidando com uma condição típica de partida, quando observar as principais entradas e saídas ajuda a determinar rapidamente onde a falha está.

Ao escolher um osciloscópio, procure um fabricante que ofereça um conjunto completo de acessórios para estender as faixas de entrada e a aplicação de seu dispositivo. Para realizar medições de sinais de alta tensão ou corrente, tais como: injetores, ignição primária e secundária e etc., você deve estender a faixa de entrada do osciloscópio com uma sonda de entrada adequada.

Existem atenuadores 10:1, 20:1, grampos de captação capacitiva e indutiva, grampos de corrente, adaptadores de acoplamento CA e etc. É muito importante que as sondas de entrada correspondam pelo menos, se não excederem, à largura de banda do osciloscópio.

Muitos fabricantes oferecem um programa de demonstração gratuito para PC, que permite ver e testar quase todas as funções e menus antes de comprar o osciloscópio. Assim, você pode comparar osciloscópios de diferentes fabricantes para fazer a escolha certa para sua aplicação.

E antes de comprar faça perguntas chaves ao vendedor como: O que está incluído no conjunto de pacotes do osciloscópio? Quais cabos, acessórios e sondas estão incluídos no aparelho e quais estão disponíveis para compra no futuro? Com qual software a ferramenta vem? Quais atualizações? Quais aplicativos o software abrange? Devido a alterações no design e nas capacidades dos veículos, com que frequência o software é atualizado? As atualizações de software são pagas ou gratuitas?

Analise suas necessidades e capacidade para efetuar a melhor escolha da ferramenta para atender a sua demanda e sempre se mantenha atualizado sobre os usos e aplicações da ferramenta.

Osciloscópio automotivo é um dos principais equipamentos de diagnóstico automotivo que o reparador precisa dominar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *