Pneus são parte fundamental do veículo. Não adianta nada o veículo estar em perfeita conservação e com suas manutenções em dia, se não tiver pneus. Além de ser responsável pela rodagem, são fundamentais garantir o bom desempenho, segurança e dirigibilidade do carro. Por isso, manter-se atento a sua vida útil é essencial para evitar acidentes e até economizar.

Em média, a vida útil de um pneu fica entre 30 a 70 mil quilômetros de rodagem, mas esse tempo pode ser bem menor se não for dada a devida atenção ao seu cuidado e conservação.

Por isso, trouxemos algumas dicas de como conservar e prolongar a vida útil de seus pneus

1 – Falta de atenção na direção

Raspar o pneu no meio fio ao estacionar, virar o volante com o carro parado, passar frequentemente por buracos e pegar guia alta, subindo e descendo de desníveis são péssimos hábitos. Além de causar deformação, possibilidade de amassar a roda, também pode causar bolhas e até mesmo rasgar a lateral do pneu, o que leva diretamente a sua inutilização.

2 – Dirigir constantemente em alta velocidade

Quanto mais rápido, maior o atrito do pneu com o asfalto. O asfalto, especialmente em dias de sol, tem sua temperatura extremamente elevada. O atrito entre pneu e asfalto naturalmente aquece o pneu e acelera seu desgaste, em regiões mais quentes e de sol constante, o desgaste é maior ainda.

3 – Fazer curvas em alta velocidade

O hábito anterior leva a mais dois problemas, sendo um deles as curvas em alta velocidade. Isso faz com que o desgaste ocorra nos ombros do pneu, acelerando o desgaste e causando deformação no pneu.

4 – Acelerar e frear bruscamente

O outro problema gerado por se andar constantemente em alta velocidade é a freada brusca e aceleração brusca. Isso leva a desgaste prematuro da banda de rodagem.

5 – Limpar os pneus com produtos abrasivos.

Por mais tentador que seja, o famoso “pretinho” que deixa o pneu com aquela aparência de pneu novo é bastante prejudicial ao pneu. Ele é abrasivo, isto é, com o atrito será gerado mais calor, isso aumenta o desgaste. Água e sabão neutro é o ideal e recomendado pelos fabricantes.

6 – Percorrer altas distâncias com o pneu furado

Ao perceber o pneu furado, troque pelo estepe imediatamente. Alguns furos por pregos ou parafusos são passiveis de reparos, mas dependendo de quanto tempo se roda com ele murcho, pode danificar a estrutura de aramida, tornando a sua substituição necessária. Por isso, esteja atento aos sinais do carro para identificar e efetuar a troca pelo estepe o mais rápido possível.


7 – Não calibrar os pneus regularmente

A integridade da estrutura do pneu e sua eficiência dependem 100% de um pneu calibrado. O ideal é que ao menos uma vez a cada 15 dias para quem utiliza o carro como passeio ou uma vez na semana para quem utiliza o carro diariamente. É importante seguir as recomendações do fabricante descritas no manual do carro, uma vez que pneus cheios demais desgastam mais a banda de rodagem e pneus murchos demais, desgastam primeiro as bordas e ombros do pneu. Outra dica é fazer sempre com os pneus frios (com no máximo 5 ou 6 km de rodagem) porque após percorrer longas distâncias, o pneu se expande com o calor do atrito, “cabendo” mais ar dentro do pneu fazendo com que, depois de frio e retraído, haja muita pressão nos pneus, passível de estouros que podem causar graves acidentes.

8 – Não fazer o rodízio de pneus

Para que os pneus sofram um desgaste regular, é imprescindível que altere a posição dos pneus entre os eixos dianteiros e traseiros a cada 5.000 km rodado para os pneus diagonais e 8.000 km rodado para os radiais. Sobre a ordem do rodízio, é preciso ficar atento às orientações das marcas de pneus e do manual do carro, pois há diferença de rodízio para modelos com tração 4×4 ou se o pneu possui um sentido de rodagem.

9 – Adiar o alinhamento e balanceamento

Sempre que notar que o volante está puxando mais para um lado que para o outro, ou fizer a troca dos pneus, é importante fazer o alinhamento e também se atentar para parte da suspensão, tanto dianteira como traseira.

Existe um desgaste natural de pivô, terminais bieletas e também as balanças ou bandeja desgasta as buchas e com isso descentraliza e vai fazer com que os pneus desgaste mais rapidamente.

Outra coisa muito importante é se atentar para verificar os amortecedores, a cada 10.000 km fazer uma revisão para verificar se está tudo ok.

Pois a suspensão é fundamental para prolongar à vida útil dos pneus e também o mais importante a segurança dos ocupantes.

Rodas com o veículo desalinhado acaba desgastando os pneus de forma irregular, diminuindo a vida e deformando mais um pneu que o outro.

Não entraremos se quer na importância da troca de pneus após seu desgaste, é imprescindível dar atenção especial para as condições de uso em que se encontram. Trafegar com pneus carecas é perigoso, trazendo riscos de acidentes e multas.

Dirigir com pneus novos ou em boas condições permite um melhor desempenho do veículo, além de mais controle e segurança para o motorista.

Vamos falar sobre Pneus
Tags:                                             

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *